Publicidade
Ads
Ads

Saúde da Mulher – Possibilidades das Plantas Medicinais

O uso das com finalidades terapêuticas é uma prática milenar que foi validada pela ciência e hoje já é reconhecidamente utilizada em vários países e recomendada como Prática Integrativa e Complementar em .

A (terapêutica a partir das plantas medicinais) está presente em todas as antigas e atuais civilizações, e desempenha papel proeminente na manutenção da saúde dos povos não somente como recurso terapêutico, como também por coexistir com crenças, valores e necessidades da humanidade e, no nosso caso, diríamos que dos brasileiros como um todo.

Quando se trata de mulheres e o ciclo hormonal esta demanda por produtos naturais é ainda mais pulsante, visto que a utilização de hormônios sintéticos é cada vez mais questionada.

A fitoterapia engloba a utilização de plantas medicinais in natura, de drogas vegetais, de derivados de drogas vegetais, podendo ser utilizados na forma de chás medicinais ou em alguma forma farmacêutica (cápsulas, sachês, tinturas…); possui eficácias semelhantes, dependendo da planta utilizada, da parte da planta que é ativa, e da forma correta de preparação.

Para prescrever plantas medicinais e fitoterápicos é necessário, além de entender a necessidade, os riscos e benefícios de cada planta medicinal, estar atendo a forma farmacêutica mais adequada, dose mais correta e combinações de plantas mais eficientes.

No ciclo feminino as plantas medicinais podem controlar sintomas, modular hormônios ou até tratar determinadas patologias, tais como: 

• Modulação da Síndrome Pré-Menstrual (TPM) e suas intercorrências;
• Modulação da Síndrome do Climatério/ Menopausa e suas intercorrências;
• Candidíase de repetição, endometriose, síndrome do ovário policístico.

Plantas como a soja (Glycine max), o trevo vermelho (Trifolium pratense), a cimicífuga (Actea racemosa) , a angelica chinesa (Angelica sinensis), entre outras, estão relacionadas a baixa incidência de Síndrome do Climatério, já que são moduladoras seletiva de receptor estrogênico. Sendo muito utilizada em casos de fogachos, baixa libido e secura de mucosa.

Outras como o açafrão-da-terra (Curcuma longa), o óleo de prímula (Oenothera biennis) e a tiririca (Cyperus rotundus) são extremamente antioxidantes e anti- inflamatórias e podem reduzir a sintomatologia de pacientes com candidíase de repetição, endometriose e/ou síndrome do ovário policístico.

Inclusive algumas plantas medicinais que são facilmente encontradas podem ser utilizadas em determinados sintomas. O funcho (Foeniculum vulgare) e a canela (Cinnamomum cassia), são plantas antiespasmódicas uterina que reduzem a intensidade das contrações uterinas e com isto ajudam em casos de Dismenorreia (cólicas menstruais).

Observa-se que os resultados clínicos são cada vez mais satisfatórios, incluem menos efeitos colaterais e menos dependência do paciente. No entanto, é necessário o conhecimento científico de cada planta a ser utilizada, pois muitas delas possuem efeitos colaterais e são contraindicadas para determinadas condições clínicas.

Profissionais de saúde médicos, nutricionistas, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas entre outros , podem prescrever fitoterápicos em sua prática clínica, deste que sejam devidamente capacitados, em algumas profissões os conselhos de classe solicitam que o profissional tenha especialização na área.

Os medicamentos fitoterápicos podem ser encontrados nas farmácias e os extratos feitos nas farmácias de manipulação, porém, é importante que o paciente se conscientize que qualquer tratamento deve ser avaliado e tratado por um profissional de saúde correspondente a sua patologia e que evite a automedicação, inclusive de fitoterápicos.

Na minha prática de nutricionista e fitoterapeuta, utilizo um conjunto de medidas para obter um melhor resultado no tratamento; aliando a , com mudança de hábitos de vida e, quando necessário, o uso de fórmulas magistrais em fitoterapia e ou . Além disso, ministro cursos e atuo na docência conduzindo profissionais
de saúde a trabalharem com fitoterapia na sua clínica.

Dra. Maria Angélica Fiut

Formação:

Nutricionista

Fitoterapeuta

Presidente da Associação Brasileira de Fitoterapia ().

Coordenadora de Pós-Graduação em Fitoterapia na Prática Clínica.

CV: http://lattes.cnpq.br/6072201392479927

Endereço: Avenida João Cabral de Melo Neto, 200, bloco 05, sala 201, Rio de
Janeiro – RJ.

Telefone: (21) 97121-6709

Instagram: @angelicafiut

Redação Lume

Somos a redação da Lume, buscamos em sites relacionados com Saúde, Beleza, Estética e Bem-estar informações relevantes no mundo para você.Se quiser publicar a sua matéria em nosso portal envie e-mail para redacao@lumesaudeebeleza.com.br

Todos os posts

Posts Relacionados

  • All Post
  • Beleza
  • Bem estar
  • Convidados
  • Editorial
  • Entrevistas
  • Estética
  • Notícias
  • Saúde
Fonte Freepik

8 de março de 2024/

Dia Internacional da Mulher – Nossa homenagem será durante todo o mês de março O Dia…

Publicidade
Ads
Ads

Nota: A informação online é valiosa, mas não substitui a consulta médica. Websites oferecem conhecimentos gerais, porém, cada pessoa é única. A avaliação profissional personalizada é crucial para diagnósticos precisos e tratamentos adequados. Autodiagnóstico e automedicação apresentam riscos. Médicos atualizam constantemente seu conhecimento. Consultas regulares são essenciais para detectar precocemente problemas de saúde. Use a internet como complemento educacional, mas confie no profissional de saúde para decisões informadas sobre seu bem-estar.

© 2024 Lume Saúde e Beleza | Todos os direitos reservados | CNPJ: 52.292.734/0001-95

Criado por www.digitalpathx.com.br

Categorias

Tags